Blogagens Coletivas · Organização · Outras Coisas Legais

8 Metas para 2018

20170210_082719

Mais um ano chegando ao fim e eu estou realmente CHOCADA por já ser dezembro! Não que o ano tenha “corrido” mais que os anteriores, todos eles voam mesmo, mas esse fim de ano, pelo menos pra mim, vem um pouco preguiçoso e cheio de “vergonha”, porque passei os últimos meses e não fiz quase NADA do que gostaria. Nada mesmo! Tá bom, a “culpa” tá nos meus enjoos de gravidez que, confesso, me PARALISARAM mesmo, mas como sei que já estão acabando (entro no 3º trimestre essa semana – UFA!), senti um desejo de recomeçar, de olhar pra frente com olhos positivos e esperançosos, e começar a planejar o ano que vem por aí.

Acho que é pelo fato de esperar meu segundo filho (acho não, é), mas quando penso em 2018, tudo o que me vêm a cabeça é: vai ser o ano de me dedicar a família! Não que antes não fosse assim, sempre foi, mas agora, estou especialmente focada na minha casa e na minha família, então, tenho algumas metas pras pessoas mais importantes da minha vida.

No more talking, vamos direto a minhas metas para 2018!!!

Ter minha bebê com saúde

Pode parecer uma meta boba, ou que não dependa muito de mim, mas estou voltando meus esforços no início desse novo ano para terminar minha gravidez saudável e passar os primeiros meses com minha bebezinha o mais tranquilamente possível. Para isso, quero entrar na hidroginástica, meditar bastante, repousar, me alimentar bem, e pesquisar MUITO sobre recém-nascidos.

Organizar o quarto das crianças

Como Davi e Elis vão dormir juntos, quando ela sair do berço, estou organizando o quarto deles dois, e está ficando LINDO! Quando tiver tudo pronto, tiro fotos e coloco aqui! 🙂

Organizar minha vida e minhas finanças para a chegada de Elis

Nossa, essa é muito IMPORTANTE. Quando nasce um novo bebê, toda a dinâmica da família muda. Então, preciso me preparar emocional e financeiramente para receber minha filhinha.

Colocar Davi em algum esporte

Desde o início desse ano, essa era uma meta minha, e de 2018 não passa. Minha preferência é natação, mas tem tanto esporte legal pra ele escolher, que fico em dúvida. haha

Ajudar Davi a parar de chupar o dedo

Fato, Davi chupa o dedo AINDA! Preciso urgente ajudá-lo com esse mau hábito, e esse ano, se Deus quiser, consigo!

Renovar meu guarda-roupa pós-baby

Como vou fazer 30 anos em 2018 (nossa!), quero deixar meu guarda-roupa mais “adulto”. Então, quando meu corpo voltar ao normal, quero tentar um novo Armário Cápsula.

Viajar para o Natal Luz em Gramado

Esse será meu presente de aniversário pro ano que vem (meu, do meu esposo de também completa 30, de Davi e de Elis, haha). Morro de vontade de ir no Natal Luz, espero conseguir esse ano!

Voltar a ler

Amo ler, e deixei esse hábito de lado (como alguns outros!) esse ano, mas em 2018 quero voltar com tudo! Aceito indicações!

Espero poder cumprir todas essas metas, e mais algumas que estou “martelando” aqui! Bom 2018 para nós! Xêro grande!

12191717_10207450342518984_5470877887559865017_n

Blogagens Coletivas

Projeto Fotográfico: Detalhes que Fazem a Diferença

(Voltando pra cá, agora de VERDADE! haha)

Mês de novembro já perto do fim (como pode isso, Deus?), e como resolvi voltar pro blog, nada melhor que começar com um post maravilindo, proposto pelo grupo Projeto Vai um Café?

Então, no Projeto Fotográfico desse mês, teríamos que postar fotos sobre os pequenos detalhes, pequenos mas importantes prazeres da nossa vida, e “fuçando” no celular, encontrei alguns desses momentos fotografados “toscamente”, momentos esses que resumem um pouco do que amo, um pouco do que torna meu dia mais feliz!

 

  1. Um dos momentos mais sublimes e desafiadores que já vivi. Gerar um filho é lindo, mas também é momento de muitos medos e responsabilidade…
  2. Sobre ser criança e se divertir com os pequenos prazeres da vida. Uma piscina de plástico num dia de sol vira algo diferente e, porque não, marcante.
  3. Ver seu filho crescer, deixar de ser bebê e se tornar uma criança linda e esperta, não tem preço!
  4. Um dia de chuva, a paisagem se transforma, a esperança se renova.
  5. Mais uma do meu pequeno grande amor. Brincando com areia, sendo feliz!

 

E vocês, quais os pequenos detalhes que fazem sua vida valer a pena?

Xêro grande!

Sem categoria

Porque deu saudade

Estava aqui, nesses minutinhos dessa tarde queeente, pensando no quanto já vivi na vida, e no quanto já superei, quando achei que não conseguiria. E, nesses momentos em que estou assim, reflexiva, é que me lembro desse lugar aqui. No quanto foi terapia pra mim, no quanto me faz falta quando me sinto sozinha nesse mundão de meu Deus. Podem ser só os hormônios da gravidez (sim, tô esperando uma bebêzinha linda), pode ser minha ansiedade que tá meio aflorada, mas deu saudade! Deu muita saudade disso aqui! De escrever e postar e esperar os comentários de resposta. Dos amigos que davam força. De tanta gente legal que conheci aqui, e que tá fazendo falta (cadê você Bibi – Bianca Carvalho?)… Então decidi postar isso aqui e decidi “voltar” um pouco pra cá. Quem sabe participar dos posts coletivos, tirar umas fotos, interagir… Queria me sentir acompanhada, queria meus amigos blogueiros de volta! Cês me aceitam? Haha

Quero minha “terapia” de volta um pouquinho!

Divagações... · Estive Pensando

Tem horas…

these-times-are-hard

Tem horas que eu só queria gritar. Gritar bem alto, tudo o que tá preso aqui dentro, pra todo mundo ouvir.

Tem horas que eu só queria dizer umas verdades pra algumas pessoas. Deixa de ser preconceituoso. Deixa de ser falso moralista. Olha pro seu umbigo.

Tem horas que tudo incomoda, e eu só queria esquecer. Queria perdoar mais. Queria guardar menos mágoas. Queria ser mais compreensiva. Queria levar a vida com mais positividade.

Tem horas que eu queria parar o pensamento, acalmar esse tsunami que tenho dentro de mim. Queria poder respirar fundo e, ao expirar, tirar esse peso que tá nos meus ombros.

Tem horas que eu só queria ficar deitada até tarde na segunda-feira, faltar ao trabalho, fazer coisas que tenho medo de fazer. Queria viajar prum lugar bem bonito, contemplar o mundo sem pensar no amanhã.

Queria voltar a ser criança e não me preocupar tanto com tudo o tempo todo.

Queria ter mais coragem pra enfrentar a vida de frente, em vez de me esconder e esperar que tudo se resolva sozinho.

Queria sofrer menos por antecipação.

Queria saber como viver assim…

Divagações... · Estive Pensando

Uma válvula de escape

079ca66c2a88a7bd559a7d11de1ba073

Um lugar para colocar tudo o que sinto pra fora. Sem medo. Sem julgamentos. Assim nasceu o Mulher Pequena. E nesses anos por aqui, sinto mais do que nunca que preciso dele. Sempre tive meus problemas e dilemas como todo mundo, mas na vida adulta, parece que tudo tomou proporções avassaladoras. Um carinho de mãe já não resolve aquela “neura”. O medo se instala e parece não querer mais sair. E esse medo, ah, o medo, se torna mais real do que nunca. Sei que o bicho-papão não existe, mas também tenho pleno conhecimento de que a doença, a morte, o sofrimento, a dor, etc., existem e são bem reais. E desses medos, surge tanta coisa ruim que nem todos os psicólogos, psiquiatras e remédios “controlados” do mundo podem resolver. Preciso, de algum modo, me ajudar, botar pra fora, encontrar uma solução pra tudo o que sinto. E é isso que esse blog é pra mim!

Nesses últimos anos de vida “adulta”, registrei por aqui cada uma de minhas “questões”. O medo, a frustração, a ansiedade, a esperança, sempre estiveram por aqui, pois fazem parte de mim. Por aqui, encontrei algumas respostas; amigos que me ajudam a superar os problemas; ou apenas um alívio quando derramo um pouco do meu coração através dessas palavras. Esse blog é meu confidente, uma válvula de escape para quando eu precisar. E nesse momento, estou precisando (e muito)!

Por isso não quero deixar isso aqui morrer. Por isso que não posso deixar isso aqui morrer! Preciso desse cantinho, das pessoas que curtem, comentam, aconselham, me mandam cartas. Preciso de cada pedaço de mim que está por aqui. Preciso disso para me dar força, para me fazer olhar para trás e ver que tudo passou, e que isso, o que tá dentro de mim agora, também vai passar. Preciso ler cada palavrinha, teclar e teclar até que me sinta bem de novo. Preciso saber que não vou enlouquecer, que meus medos não vão me dominar, e que tudo vai dar certo no final.

Acredito nisso, por isso estou aqui, depois de tanto tempo, retornando mais uma vez pro que me faz bem quando estou mal.

Xêro grande!

Divagações... · Estive Pensando · Me Inspira! · Sendo Eu

Ser mãe!

20150629_211139-1

Ontem, quando Davi chegou da escola, eu estava tirando umas roupas do varal (trabalha menina! Haha); ele entrou, falou comigo, e começou a mexer em algo no jardim. Continuei fazendo meu serviço e então, de repente, ele me chama, dizendo que “quer me dar um presente”. Quando eu entro em casa, e chego perto dele, ele, com toda inocência de criança, me dá um “buquê”, com umas florzinhas que ele tinha colhido do jardim, e então me fala: “Mamãe, você vai ganhar o presente que papai vai comprar, e o presente da escola, mas queria te dar esse presente. Esse é o meu presente do dia das mães pra você”. Me derreti com aquelas palavras, com aquele sorriso, com aquele que é a pessoa mais importante do mundo pra mim! Esse pequeno gesto fez meu dia das mães, que ainda nem chegou, ser o melhor de todos. Foi PERFEITO! E naquele instante, com aquele gesto tão maduro daquele pequeno ser de apenas cinco anos, todo choro, teimosia, noites em claro, preocupações, brigas, tudo valeu a pena.

Naquele momento, como em tantos outros, tive orgulho de SER MÃE! Soube que SER MÃE é o maior presente que Deus poderia ter me dado, pra vida toda. A flor, o gesto, foi – de verdade – o segundo presente mais lindo que ganhei. Pois Davi, quem me deu o presente, foi e é uma dádiva maior ainda, a maior da minha vida!

Divagações... · Estive Pensando

A caixa de memórias

coracores-involuntarios-tumblr-fofo

Eu tenho uma caixa escondida, lá no fundo do armário, e nela se encontram momentos, pessoas, lembranças. Nela cabe de tudo um pouco, um pouco do que já vivi, um pouco do que me tornou o que sou hoje. Tenho recados dos meus amigos de escola, cartas de pessoas que foram importantes em momentos difíceis, papéis de bala dados pelo primeiro amor que tive. É a minha caixa de memórias.

Frequentemente olho pra ela, raramente abro. O tempo corre como maratonista e não permite que faça isso com a frequência que gostaria. Mas quando abro, me sinto como se estivesse voltando no tempo, pra aquela Mariana que era insegura e ficou muito feliz por ter uma festa de 15 anos, pra aquela Mariana que foi morar longe da mãe no ensino médio e precisou ser consolada várias vezes por amigos-irmãos que guardo no coração por toda a vida, pra aquela Mariana cheia de sonhos, na faculdade de Direito, morando com alguém que hoje é a melhor amiga que se pode ter.

E quando olho pra todos aqueles papéis, já meio marcados pelo tempo, sempre penso em como fui e sou feliz. Penso em cada lágrima que derramei, de tristeza, de saudade, e lembro de que sempre tive alguém do meu lado pra enxugar. Penso em como sou sortuda por ter a melhor família, as melhores irmãs/vó/mãe/pai/tias que alguém pode querer. Penso em como amizades podem ser tudo em alguns momentos, e que a distância às vezes tão grande se torna pequena ao abrir de um papel.

E penso também nas pessoas que deixei pelo caminho… Nos amigos de infância que nem sei como estão hoje. Em tantos outros que vejo apenas por fotos no Facebook. Não sinto saudade a ponto de querer voltar no tempo, nem desejo voltar pra perto de cada uma dessas pessoas especiais do passado. Sei que estão onde devem estar, assim como eu estou. Mas fico feliz por saber que estão bem, que estão felizes como eu estou, e fico agradecida por saber que estão fazendo bem a outras pessoas, do mesmo jeito que fizeram a mim. A saudade vai, a lembrança fica. E enquanto o tempo passa e as coisas mudam, essas lembranças pessoas e momentos, sempre estarão aqui, comigo, pra sempre, esperando pra serem revividos, bastando o abrir de uma caixa…