Blogagens Coletivas · Divagações... · Meus Escritos

Dias de (mães) amor, de vida, de DAVI

20150629_211139

Era véspera do dia das mães do ano de 2011. Uma sexta-feira, mais precisamente. Depois de uma noite em claro, um teste e uma verdade, a descoberta de que minha vida seria mudada para sempre: a partir de agora, não estaria mais só. A partir de agora, minha vida seria dividida com mais alguém, que seria a parte mais importante de mim. Naquele dia eu não sabia, não tinha a mínima ideia, mas aquele pequeno grãozinho de vida iria ser a minha maior alegria, quem iria mudar todas as prioridades e arrancar meus mais sinceros sorrisos, aquele ser iria me ensinar a viver.

Passei aquele dia inteiro em casa pensando. Na reação dos meus pais, no emprego que eu não tinha, no fato de não ser casada… Pensei em inúmeras “coisas” negativas, mas nunca em como você me faria passar num concurso, me livrar de um assalto, me fazer trabalhar num lugar que amo, me ensinar a ser mais positiva e mais forte, muito mais forte.

No dia das mães, nosso primeiro juntos, quase não consegui segurar o choro, por estar escondendo algo de minha mãe no dia dela. A ansiedade e o sentimento de culpa eram imensos, e durante nosso café da manhã juntas foi quase insuportável segurar o segredo de sua existência. Não, você não era errado, nem nunca foi. Eu que era imatura e insegura demais. Mas, naquele mesmo dia, ao ficarmos sozinhos por um instante, falei contigo pela primeira vez e cantei para ti a canção que, até hoje, traduz o que sinto por ti. E cantei para ti, para nós, para nos lembrar “como é grande o meu amor por você”.

E o tempo passou. Enfrentamos muitas “barras” juntos. Passamos muitos enjoos, contamos para todos sobre você e, em um dia difícil, pensei que iria te perder. Foi um momento difícil para nós, não é? Nesse momento conheci o medo, um sentimento que até hoje me acompanha. Não um medo infantil, bobo, mas um bem adulto: o medo de te perder. E naquela noite pedi, implorei a Deus, que não te tirasse de mim. E Ele nos atendeu, nos foi fiel, e quando te vi, naquela tela, soube que seria o meu milagre, e que te amaria e te protegeria, mais que tudo o que tenho, pra sempre!

Você nasceu em 29 de dezembro de 2011. Num lindo dia cheio de sol. Você, tão pequeno e indefeso, cresceu e se tornou um menino forte, lindo, inteligente, amoroso, amado por todos. Te amo ainda mais do que em todos aqueles dias que você esteve dentro de mim, e te dou o melhor de mim, em todos os momentos de meu viver. Hoje, minha vida se resume a sua, e meus planos são te amar, te educar, te fazer a pessoa mais feliz do mundo, te dar ao menos um pouco do muito que já me deste.

Todos os dias são teus, todas as horas, suas. Todos os dias das mães, de hoje até a eternidade, nossos. Sim, o dia não é meu, mas nosso. Pois o meu maior presente de dia das mães é, e sempre será, você. Você é minha VIDA, me deu a VIDA. Meu DAVI!

Te amo!

12191717_10207450342518984_5470877887559865017_n

Anúncios

6 comentários em “Dias de (mães) amor, de vida, de DAVI

  1. Gente, que coisa mais linda. ♥
    Me emocionei aqui porque, quando bebê, também tive alguns problemas e meus pais ficaram com o coração na mão. Mas tô aqui indo para os 31 anos mês que vem e o Davi tá esse moço lindo que te enche de orgulho!

    Um beijo no coração e feliz dia das mamães atrasado, minha querida!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s