Divagações...

Texto: Uma palavrinha estranha chamada SAUDADE…

Oi amores…

Deu saudade de postar um pouco sobre meus pensamentos, então, aí vai um textinho sobre algo que todos sentimos. Vamos ler?

058

irmãs!

Uma palavrinha estranha chamada SAUDADE…

Saudade dos meus tempos de criança, de brincar com meus primos na casa de minha avó. Saudade de meu avô, me ensinando o nome das vértebras do esqueleto, queria que o tempo voltasse, só pra ver isso tudo de novo. Saudade das noites de sábado, todos juntos em casa, comendo cachorro-quente, sendo crianças, sem preocupação. Saudade de acordar com minha irmã do lado, brincando na casinha de bonecas, de nossas brincadeiras, de um tempo que não volta mais. Seria bom poder voltar no tempo, mesmo que só um pouquinho, e viver isso tudo, tudo de novo.

Saudade de não ter responsabilidade, de ser o primeiro lugar, em todos os momentos. Saudade de quando era adolescente, de minha mãe escutando sertanejo, de brigar com minhas irmãs por motivos fúteis, de passar as férias na casa do meu pai. Saudade dos tempos de escola, dos amigos e amigas, mesmo que poucos, dos livros lidos na biblioteca, de estudar tudo na véspera e ainda assim passar de ano. Saudade das paqueras não correspondidas, daquele primeiro amor platônico, de ter vergonha de dançar, do primeiro beijo desajeitado. Seria bom poder me ver naqueles momentos, mesmo que só um pouquinho, e mandar eu relaxar um pouquinho.

Saudade da época da faculdade, de morar com minhas amigas, das brigas por causa de nada, das noites assistindo Gossip Girl. Saudade de ensinar inglês, das minhas crianças não minhas, de ter uma melhor amiga pela primeira vez na vida. Saudade de me estressar com as provas, mesmo tirando boas notas. Saudade de me apaixonar de verdade, e de ser correspondida pela primeira vez, dos beijos roubados, dos momentos escondidos, da inconsequência da paixão. Saudade de curtir a vida adoidado, de achar que nada vai dar errado, dos shows de Biquini no “Festival do Côco”, da minha amiga Danny, de novo. Seria bom poder rebobinar a fita, e dar mais um abraço, mais um beijo, mais um eu te amo, poder parar no tempo, naqueles bons momentos.

Saudade é coisa estranha, palavra tão pequena de significância tamanha, é a vontade de viver de novo um tempo bom que não volta. Amo o que vivo, quem eu sou, onde estou. Amo o meu filho, e isso faz com que hoje não queira viver o antes, nem o depois, apenas o agora. É só que, mesmo assim, há a Saudade, todos os dias, do que não estão perto, dos que se foram, dos que não vejo mais. Saudade, palavrinha esquisita, que até dói no coração, mas que mostra, tão forte, tão importante, que vivi e amei e sofri, que fui feliz na vida. E que tudo o que passei não foi mentira. “ Saudade é o amor que fica”.

Xero meus amores…

Mensagem do Dia: E é por Cristo que temos tal confiança em Deus; O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica.2 Coríntios 3:4,6

Anúncios

12 comentários em “Texto: Uma palavrinha estranha chamada SAUDADE…

  1. Que texto lindo! 🙂 Está ai um sentindo que me faz refletir muito, tanto que vou tentar montar um trabalho de fotografia baseado na palavra “nostalgia”, que, de certa forma, me lembra saudade. Sinto falta até dos problemas, acredita? rsrsrs. Também sou que nem você, não vivo no passado, mas é impossível não analisar o quanto as coisas mudam e mudam muito rápido. De um minuto para o outro as coisas já não são as mesmas. Isso não é ruim, porque o que seria da nossa vida sem a mudança? Mas essa rapidez tem me incomodado um pouco, no sentido de que está tudo indo muito rápido, sabe? Os nossos melhores amigos não estão mais lá e outros estão, novos problemas, tudo é muito novo, fica até complicado se adaptar. Enfim, foi um desabafo baseado no que li do seu post hahaha! 😀
    Beeijos
    Beatriz Baesso

    Curtir

    1. Me vi no seu comentário, Beatriz! Minha vida foi e é assim, marcada por rupturas repentinas, daquelas em que a gente tem que recomeçar tudo do zero, inclusive você mesma. Às vezes acho que não vou dar conta dessa avalanche repentina, mas sempre dou e sigo em frente (obg resiliência!). Adorei seu pensamento, contribuiu muito, principalmente para o que estou vivendo hj, você nem sabe o quanto! Xero

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s